Brasiliense controla o jogo, mas cai para o Tocantinópolis e vê vaga sob risco


Por Bruno H. de Moura e Danilo Queiroz

O Brasiliense teve todas as oportunidades possíveis e imagináveis para sair vitorioso da fervente Tocantinópolis. Apenas na 1ª etapa mais de 10 chances de gol foram desperdiçadas. No segundo tempo, idem. Já o Tocantinópolis, que não teve partidas oficiais desde a pausa do campeonato local, em março desse ano, fez o dever de casa. 1 boa chance no final da primeira etapa e o único gol do jogo. 1-0 para o time de verde de Tocantins.

O Jacaré, que continua com o problema crônico que assola a equipe desde 2018, perdeu dezenas de chances com a bola no chão e, principalmente, nos levantamentos à área. Com Zé Love perdido no 1º tempo e ninguém efetivando as cabeçadas ou jogadas na área na 2ª etapa, o Brasiliense terá que ser muito mais efetivo em casa ou o sonho da Série C 2021 não passará da fase de classificação de 2020.

1º Tempo: Quem não faz, leva

Sob o forte calor do norte tocantinense, os dois times revesaram a posse de bola, mas não conseguiam criar. A primeira boa trama ofensiva saiu do ataque do Brasiliense somente aos 5′, quando Marcos Aurélio cruzou falta na área, mas Rodrigo cabeceou mal. Mais incisivo, o Jacaré chegou de novo aos 7′, mas Zé Love pegou embaixo da bola e mandou por cima do gol. Com o susto, o Tocantinópolis se lançou mais à frente.

Aos 14′, Zé Love teve nova chance, mas parou no goleiro Paulo Henrique. Aos 17′, quase Luquinhas faz um golaço. Após receber de Badhuga, o atacante chapelou a marcação, mas não conseguiu finalizar. Aos 21, o Jacaré criou nova chance pela esquerda, mas o passe de Railan foi interceptado antes de chegar a Zé Love.

Aos 27′ pausa para reidratação dos jogadores. Àquela altura o jogo era do Brasiliense. O time de Edson Souza possuía o controle do meio de campo e Railan na direita, muito bom, conduzia o Jacaré para próximo do gol. Contudo, na finalização Zé Love e Romarinho não efetivavam a criação do Brasiliense. Foram 7 chances perdidas.

Do outro lado, o Tocantinópolis se defendia como podia e engatilhava o contra-ataque como solução para seu problema de falta de posse de bola. Fernando assistia o jogo do seu gol nem ter tido nada a fazer.

Aos 37′ boa falta em cima de Railan na direita. Marcos Aurélio, com apenas um jogador na barreira, levantou dentro da área, mas Aldo cabeçou bem para fora. Na sequencia, boa trama dos donos da casa. Tety ajeitou bonito dentro da área para Marquinhos que chutou para o gol, mas a bola desviou em Rodrigo e foi a escanteio. Na sequência, Badhuga impediu o primeiro gol da partida afastando chute de Leonardo.

O Tocantinópolis mudava o jogo. Daniel e Tety destacavam-se nas saídas de bola e criaram boas chances. Já o Brasiliense descia a temperatura e a sequência de erros de Zé Love no 1º tempo jogava no lixo a categoria de Marcos Aurélio e Railan. Eduardo Valadão ainda deu 5 minutos para os times tirarem o zero do placar. Ninguém aproveitava a benesse. Quer dizer. Quase ninguém.

Daniel viu Tety muito bem posicionado dentro da área do Brasiliense, deu bom passe para Tety que abriu espaço entre os zagueiros e de calcanhar passou para Elifran que com a cara pro gol limpou pro meio e afundou a bola nas redes de Fernando Henrique. Era o golzinho que o Tocantinópolis necessitava.

2º Tempo: Brasiliense não aproveita seu controle do jogo

Edson Souza não esperou a bola rolar. No intervalo retirou Marcos Aurélio, que bem jogava, e colocou Jefferson Maranhão em campo. Na primeira jogada, o ex-Gama cruzou bem na ponta direita na cabeça de Zé Love que não conseguiu concluir a jogada. Em resposta, Rodrigo falhou, a bola foi pra Lourival que entregou para Elifran chutar rente ao canto esquerdo de Fernando Henrique.

Aos 9” falta para o Brasiliense cobrada por Railan no segundo pau. Jefferson Maranhão mandou para a marca do pênalty, a defesa do Tocantinópolis furou, mas nem Zé Love, nem Aldo, aproveitaram a oportunidade. Nos 12” do cronômetro Zé Love encarou a marcação, invadiu a esquerda da grande área e chutou por fora do gol de Paulo Henrique.

Já aos 16” escanteio cobrado por Daniel, a bola passou por Rodrigo e ia em direção ao gol, obrigando Fernando Henrique a afastar da grande área. 2 minutos depois o Jefferson Maranhão pela direita de ataque respondeu com uma infiltração na área de ataque, mas o goleiro Paulo Henrique, com o pé, afastou.

Edson Souza percebendo a carência de qualidade na finalização fez duas mudanças. Fabinho entrou no lugar do apagado Romarinho, enquanto Sandy deu lugar a Fernandinho. Com isso, Balotelli, meia de ofício, foi pra sua posição original, enquanto Fernandinho ocupou a lateral esquerda. Já Fabinho dava ar novo ao ataque candango.

Na primeira jogada posterior a ideia do novíssimo treinador deu bom resultado. Luquinhas na esquerda deu a bola para o Fabinho que devolveu para Luquinhas ficar cara a cara com o gol, mas Leonardo empurrou o jogador do Jacaré. O árbitro Eduardo Valadão não apontou o pênalti e deixou o jogo correr.

O Brasiliense tinha volume de jogo, dominava os flancos, criava jogadas pelo show e pelo alto com um Luquinhas inspirado na segunda etapa. Mas não finalizava. O jogo teve uma ligeira queda de produção com o Jacaré segurando a bola, mas não finalizando. Aos 35” Edson Souza fez suas últimas mudanças. Vitor Mariano entrou no lugar de Zé Love e Esquerdinha foi para a partida na vaga de Luquinhas.

Dirceu Leno/ Esp. Metrópoles

O Brasiliense outra vez foi para o ataque, mas o defensor Luan colocou a bola para escanteio. Na cobrança, o zagueiro do TEC alivia novamente. 3 minutos depois Railan cruzou e Vitor Mariano testou para fora. Aos 41″ Fabinho recebeu a bola dentro da área e caiu, após choque com Dioguinho, mas o árbitro nada deu. Na cobrança de escanteio, novamente, jogador do Brasiliense caído após contato com defensor e Eduardo Valadão nada marcou.

Já aos 42”, Railan novamente cruzou, o zagueiro Leonardo recuou para o goleiro e o árbitro marcou a saída na entradinha direita da pequena área.Na batida esquerdinha rolou para Jefferson Maranhão que explodiu a bola no defensor Daniel, indo a escanteio, desperdiçada na cobrança.

Eduardo Valadão assinalou 6 minutos de acréscimo. Aos 51 Railan chutou falta com categoria, obrigando Paulo Henrique a espalmar a bola para a linha de canto. Escanteio para o Brasiliense, mas no alto, outra vez, o time do DF não foi efetivo. Era a chance final, desperdiçada. O Brasiliense controlou o jogo, nos dois períodos, mas não botou a bola na rede.

O que vem por aí

Agora o Brasiliense terá uma semana de preparação até o próximo final de semana. No domingo, às 15:00, no Estádio Nacional Mané Garrincha, o time de Edson Souza vai atrás de uma vitória por pelo menos 1 gol para levar aos pênalti o resultado. O Tocantinópolis tem a vantagem da vitória e do empate. Qualquer desses resultados coloca o time nortista no Grupo 06 da Série D.

Ficha técnica

Tocantinópolis: Paulo Henrique; Matheus, Leonardo, Luan, Tiago Von; Flávio, Daniel (C), Gama, Tety (Dioguinho); Elifran (Denilson), Lourival (Karu).

Tec.: Neto Costa

Brasiliense: Fernando Henrique, Railan, Badhuga, Rodrigo, Wagner Balotelli; Aldo (C), Sandy (Fernandinho), Luquinhas (Esquerdinha), Marcos Aurélio (Jefferson Maranhão); Romarinho (Fabinho) e Zé Love (Vitor Mariano).

Tec.: Edson Souza

Trio de arbitragem

Árbitro: Eduardo Valadão – GO

A1: Marcio Maciel – GO

A2: Hugo Correa – GO

Quarto árbitro: Eduardo Teixeira – TO

O post Brasiliense controla o jogo, mas cai para o Tocantinópolis e vê vaga sob risco apareceu primeiro em Distrito do Esporte.

Fonte: distritodoesporte.com
Author: Distrito do Esporte

Powered by WPeMatico

ESTÁDIO NACIONAL MANÉ GARRICHA

O Portal do estadiomanegarrincha.com.br é um portal independente, que reúne informações sobre notícias do esporte, jogos e eventos no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Siga-me no Twitter

Facebook

Idiomas: