Em meio a medalhões no Brasiliense, jovens promessas procuram seu espaço


Por João Marcelo

Historicamente conhecido por contratar jogadores acima dos trinta anos e com muita rodagem no futebol brasileiro – uns até a nível mundial -, vulgarmente tratados como “medalhões”, o Brasiliense mantém alguns desses em seu atual elenco, como Fernando Henrique, Zé Love, Douglas e outros. Em contrapartida, há nomes que ainda galgam reconhecimento dentro do próprio clube e podem ser a saída para uma safra renovada do Jacaré.

Dentre as jovens promessas do Brasiliense, três jogadores estão com menos de 20 anos de idade. Contratado nesta temporada, o volante Tharlley Coquinho é o mais novo do trio, com apenas 16 anos. Os atacantes Alex Rafael, 18 anos, e Vitor Mariano, 19, completam a relação. Juntos, os atletas somam 53 anos, metade dos citados no início deste texto, Fernando Henrique, Zé Love e Douglas tem 106 anos somados.

Vítor Mariano e a experiência entre os menos experientes

Mais experiente da nova geração, Vítor Mariano, 19 anos, é também o que soma mais participação pelo Brasiliense. Somando a temporada atual e anterior são sete jogos e três gols pelo Jacaré, uma média de 0,43 gols por partida. O atacante, contratado junto ao Legião, apesar da idade, tem uma carreira com bons números no Distrito Federal. Em 2018, atuando pelo Legião, foi artilheiro da divisão de acesso do Candangão e vice-artilheiro do Candanguinho, anotando 17 gols durante o ano.

  • Do Leão para o Jacaré: Vitor Mariano deixa o Legião e jogará o Candangão pelo Brasiliense

Em entrevista ao Distrito do Esporte, Vítor Mariano ressaltou que desde muito novo tem ligação com o futebol. “Sempre gostei de esportes e sempre fui apaixonado por futebol. Desde os quatro anos jogando bola, entrei em escolinhas e fui criando mais paixão ainda pelo futebol”. Ainda falou sobre o que espera da carreira. “Minhas expectativas são altas como qualquer atleta de futebol. O sonho é se destacar nos grandes times brasileiro e jogar fora do país”, revela.

Atuando ao lado de grandes nomes do esporte, Vítor Mariano exalta a importância do conhecimento dos veteranos. “Pra mim é um privilégio jogar com jogadores desse nível. Eu via só pela televisão e hoje eu estou dividindo o mesmo espaço com eles todos os dias, me passam muita confiança. Douglas sempre puxando minha orelha, não só ele, mas o Fernando Henrique também. Sempre me dando dicas, me explicando como devo fazer, sempre me ajudando”, finaliza.

Foto: Arquivo Pessoal/Vítor Mariano

Alex Rafael têm motivos especiais para a escolha da carreira de jogador de futebol

Cria das escolinhas de Samambaia, Alex Rafael, 18, assinou o primeiro contrato profissional com o Brasiliense. Antes, atuou pela escolinha do Santos no Distrito Federal e pela categoria de base do Foz do Iguaçu, no Paraná. Depois de um período de testes no Jacaré, foi oficializado como atleta do clube. Apesar de estar presente em algumas relações para jogo neste ano – todas antes da pandemia do coronavírus -, o jovem atacante ainda não entrou em campo com a camisa amarela.

Em conversa com a equipe do DDE, Alex citou a família como grande incentivadora. “Meu pai sempre me apoiou e a vontade de dar uma vida melhor pra minha família é o meu incentivo. Estou muito motivado, esperando minha oportunidade e com muita fé em Deus e no meu futebol”, conta. O atacante mostra grana ao falar sobre como se sente sendo jogador do Brasiliense. “Um garoto jovem que procura seu espaço, com muito pra aprender, muito a evoluir, com muita sede de sucesso, com fome de títulos e com muita força de vontade”, expressa.

“Nesse um ano de Brasiliense já evoluí bastante, todos os jogadores do elenco passam experiência, seja numa crítica construtiva, em uma palavra de incentivo ou até em uma resenha pra descontrair um pouco, tirar um pouco da pressão de estar jogando com jogadores de tão alto nível”, confessa. Alex ainda complementa. “Minhas expectativas são conseguir desempenhar meu melhor futebol no Brasiliense, conseguir bastante títulos, gols e o tão sonhado acesso à elite do futebol brasileiro”, manifesta.

Foto: Arquivo Pessoal/Alex Rafael

Tharlley Coquinho se espelha no pai, o ex-atleta Coquinho, para ter sucesso

Tharlley Oliveira da Silva, conhecido como Tharlley Coquinho, é o mais jovem do plantel do Brasiliense. O volante herdou o apelido e a posição de seu pai, Coquinho, atleta cinco vezes campeão candango com o Brasiliense (2006, 2007, 2008, 2009 e 2011). Há pouco mais de um mês no Jacaré, Tharlley ainda não teve a chance de atuar com a camisa amarela. Porém, o jovem volante já vestiu outras camisas no Distrito Federal, são elas: Paranoá, Brasília e Legião.

  • Brasiliense anuncia mais duas contratações para o sistema defensivo

Durante bate-papo com a equipe de reportagem do DDE, Tharlley Coquinho citou seu pai ao falar sobre motivações no futebol. “Desde pequeno nesse rumo vendo meu pai (Luiz Oliveira dos Santos Junior, o Coquinho) jogar me motivou a querer ser jogador de futebol”. O atleta se intitula um “jovem buscando seu espaço” no Brasiliense e menciona que quer crescer muito dentro do clube e conquistar grandes coisas.

O volante também descreve a convivência diária com atletas de renome. “Uma experiência muito boa. Estou jogando ao lado de jogadores que via jogar somente na televisão”, expõe. Tharlley Coquinho ainda discorreu sobre como imagina seu futuro nos gramados pelo país. “Ir evoluindo a cada dia para um dia chegar e jogar em grandes clubes da Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro”, conclui.

Foto: Divulgação/Brasiliense F.C.

Média de 30 anos na relação para o decisivo confronto da Pré-Série D

Como de costume, o Brasiliense liberou através de suas redes sociais os jogadores relacionados para enfrentar o Tocantinópolis-TO, confronto válido pelo jogo de volta da fase classificatória para os grupos da Série D. Na partida de ida, a equipe de Tocantins venceu por 1 a 0 e com isso pode até empatar que garante vaga no Grupo 6 ao lado de Gama, Atlético-BA, Bahia de Feira-BA, Caldense-MG, Palmas-AM, Tupynambás-MG e Villa Nova-MG.

Entre os nomes relacionados, Vítor Mariano é o único abaixo dos 20 anos de idade, Tharlley Coquinho e Alex Rafael não constam na lista. Ao todo, 21 atletas estarão presentes no gramado do Mané Garrincha. Destes, 13 já são trintões, Romarinho e Luquinhas abrindo a lista com 30 anos e Douglas fechando com 38. E por fim, sete atletas estão na casa dos 20 anos, Fabinho e Keynan iniciam com 24 anos e encerrando com Esquerdinha, de 29 anos. Portanto, o Brasiliense terá uma média de 30,1 anos na decisiva partida.

Veja os relacionados para a partida e suas respectivas idades:
Edmar Sucuri – 31 anos
Fernando Henrique – 36 anos
Badhuga – 31 anos
Fernandinho – 35 anos
Keynan – 24 anos
Railan – 26 anos
Rodrigo – 33 anos
Aldo – 31 anos
Bruno Lima – 27 anos
Douglas – 38 anos
Esquerdinha – 29 anos
Fabinho – 24 anos
Marcos Aurélio – 36 anos
Radamés – 34 anos
Sandy – 26 anos
Wagner Balotelli – 28 anos
Jefferson Maranhão – 31 anos
Luquinhas – 30 anos
Romarinho – 30 anos
Vítor Mariano – 19 anos
Zé Love – 33 anos

O post Em meio a medalhões no Brasiliense, jovens promessas procuram seu espaço apareceu primeiro em Distrito do Esporte.

Fonte: distritodoesporte.com
Author: João Marcelo

Powered by WPeMatico

ESTÁDIO NACIONAL MANÉ GARRICHA

O Portal do estadiomanegarrincha.com.br é um portal independente, que reúne informações sobre notícias do esporte, jogos e eventos no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Siga-me no Twitter

Facebook

Idiomas: